Produtos

O Brasil produz arroz longo-fino de alto padrão agronômico, industrial, nutricional e gastronômico para atender aos consumidores nacionais e internacionais. Os tipos de arroz:

ft-agulinha

Agulinha (Branco Polido)

É o mais consumido no Brasil. obtido a partir da retirada da casca do grão integral e seu polimento. A classificação subdivide-se em cinco tipos, delimitados pela relação de grãos inteiros/quebrados e outros fatores qualitativos, conforme normas federais.

ft-integral

Integral

Retirada a casca, o grão preserva a película e o gérmen, onde se concentram as fibras, vitaminas e minerais. É também identificado como cargo ou esbramado. Tem grande poder nutricional.

ft-parboilizado

Parboilizado

Grão cujo processamento mantém elevado valor nutricional, preservando nutrientes e fibras. O Brasil é um exportador com qualidade superior aos padrões internacionais pela excelência de seu parque industrial de parboilização. Este tipo ocupa uma faixa de consumo entre 25% e 30% no País.

ft-quebrados

Quebrados de Arroz

Os chamados “derivados” representam mais de um terço das exportações brasileiras, especialmente ao continente africano, por seu diferencial de qualidade, que consolida clientes em diversos países. Estão subdivididos em canjicão, canjica, quirera e farelo.

Usos

O arroz é consumido diariamente por 60% da população mundial (FAO). Além disso, a casca é rica em energia e, após a queima, gera matéria-prima usada na formulação de cimento, isolantes, tintas e outros produtos utilizados na construção civil. Do farelo pode ser extraído o óleo de arroz e uma centena de subprodutos com fins medicinais e cosméticos. Há mais de 200 usos conhecidos.

Atualmente os pesquisadores brasileiros buscam variedades
de alto rendimento e maior valor proteico e de óleo para a produção de rações animais de maior poder nutricional e biocombustíveis.

Saúde

O arroz é rico em carboidratos, nutritivo e importante fonte de minerais e vitaminas. Por isso auxilia na prevenção de doenças do sistema digestivo e coração, no tratamento de diabetes, reduz o risco de câncer de intestino, bucal, e regula a flora intestinal, além de ser antidiarreico.

Usado por atletas pelo seu médio valor calórico e lenta absorção, é hipoalergênico e não contém glúten ou colesterol. O grão integral é rico em silício, útil na prevenção da osteoporose e formação dos ossos

Portanto, ao adquirir o arroz brasileiro, o consumidor receberá um produto que, além das vantagens comerciais e competitivas, apresenta alta qualidade nas diversas etapas de produção e processamento, estabilidade de oferta e também a garantia de saúde, sustentabilidade social e ambiental.